fbpx

Google do futuro: o que a Gigante está planejando?

google-do-futuro-webshare
Google do futuro: o que a Gigante está planejando? 1

Karine Tavares
Redatora

06 de Jan. de 2020

O primeiro post do ano só poderia falar sobre um tópico: o AMANHÃ! Como você se vê daqui a cinco ou dez anos? Diminuindo um pouquinho essa perspectiva, onde você acha que estará em um ou, no máximo, dois anos? Agora saia da sua caixa e tente imaginar como será a Google do futuro e o papel dela na sua jornada pessoal e profissional.

CURIOSIDADE A MIL, NÃO É MESMO!? Na realidade, todos estamos. Especialmente pelo fator “planejamento” – porque não somos bobos, nem nada. 

Acredite, a Gigante está preparando uma série de novidades que vão além de nos deixar doidos com as mudanças de algoritmo. Algumas são muito agradáveis e outras vão fazer os profissionais de marketing digital arrancarem os cabelos.

EXAGERANDO, WEBSHARE? É, apenas um pouquinho. Entretanto, alguns realmente vão detestar as novas intenções da Gigante. Como diz o ditado: NÃO HÁ COMO AGRADAR AOS GREGOS E TROIANOS. No final, alguém ficará aborrecido, mas isso faz parte do jogo.

Sendo assim, o Neil Patel nos deu uma ajudinha e compilou algumas informações bem importantes, para as quais não podemos virar as costas. Vamos ver o que o especialista nos conta?

Sumário:

  • Google do futuro: o que a Gigante está planejando?
  • 1- Os resultados de busca, como os conhecemos, deixarão de existir na Google do futuro?
  • 2- A Google do futuro quer ir além do software?
  • 3- Dispositivos da Google cairão nas graças da população mundial?
  • 4- A Google do futuro focará no e-commerce?
  • 5- Ads offline. Como assim Google do futuro?
  • 6- Ambient Computing (in)consciente. É possível?
  • Faça uma parceria com quem mais entende sobre a Google do Futuro

1- Os resultados de busca, como os conhecemos, deixarão de existir na Google do futuro?

Não é para entrar em desespero. Tampouco isso significa que cairá por terra tudo o que você aprendeu até aqui para fazer um SEO de qualidade.

O termo-chave da década é ADAPTAÇÃO. E vamos combinar que, em nossa área, já estamos mais do que acostumados com essa realidade. 

Na Google do futuro, os negócios precisarão entender que a plataforma de busca funciona como mais do que uma mera entrega de resultados.

É uma facilitadora potente, que permite ao usuário atingir seu objetivo sem muitos cliques. Isso significa que será possível, por exemplo, reservar um hotel ou fazer o seguro do carro diretamente na busca.

Mas calma, os usuário não irão cessar a navegação dentro de seu site. Aliás, é claro que as regras para o ranqueamento continuarão valendo, e seu conteúdo deverá agradar personas e algoritmo, além de sua estratégia visar uma boa experiência. Todavia, seu SEO precisará adequar-se às novas formas de atração orgânica através desse mecanismo.

2- A Google do futuro quer ir além do software?

Investindo em hardware, a pretensão da Google do futuro não é ultrapassar o número de vendas de grandes empresas como Apple e Samsung. Na realidade, eles querem mesmo é, pasme, reunir o máximo de DADOS que puderem.

A estratégia é entregar dispositivos economicamente acessíveis à população que não pode dispensar milhares de reais nestes aparelhos. Além disso,continuará permitindo que o sistema ANDROID (para quem não sabe, ele é da Google) opere em várias outras marcas, da ferramenta mais simples até aquela altamente sofisticada. 

Basicamente, segundo Neil Patel, o objetivo é fazer com que “TODO MUNDO NO MUNDO USE O HARDWARE DELES”.

Detentores desses dados, o foco final do investimento é em publicidade – a grande geradora de sua lucratividade desde os primórdios- que leva os usuários à plataforma de pesquisa que, por sua vez, é tomada por mais anúncios.

Estamos influenciados pela Google do início ao fim da jornada.

3- Dispositivos da Google cairão nas graças da população mundial?

A Google já está dentro de 60% das escolas norte americanas, com o seu Chromebook. Ou seja, as gerações crescem manuseando um dispositivo da Gigante e totalmente ambientadas com seus sistema operacional, aplicativos, buscador, etc…

Na contramão da ostentação de aparelhos luxuosos e caríssimos, eles cumprem com o propósito da inclusão digital lindamente e são acessíveis. Vão ou não vão dominar o mundo? Faça suas apostas! 

4- A Google do futuro focará no e-commerce?

Mais um planejamento arrasador da Google do futuro, já que tudo que foi feito até aqui no sentido de investimento no mercado do e-commerce não deu muito certo.

Neil Patel palpita que a grande concorrência deverá ser, nada mais, nada menos, que com a Amazon. As especulações levam a crer que haverá a compra de uma empresa grande da área, com o objetivo de ajudar pessoas a criarem seus próprios sites de e-commerce.

Pelo sim, pelo não, mantenha-se de olhos bem abertos para aquilo que a Google decidir fazer.

5- Ads offline. Como assim Google do futuro?

Publicidade Google fora do digital? Isso mesmo! A mãe dos anúncios em mídias online mergulhará profundamente nas águas do universo offline do marketing (também). É que a estratégia movimenta uma boa economia, e a tendência é aumentar.

Tudo isso, porque a Gigante sabe tudo sobre todos. Afinal de contas, dispomos de seus dispositivos dentro de nossas casas, em nossos punhos e, literalmente, por onde andamos. Waymo (serviço de carros autônomos), relógios smartwatches, assistentes e até contas correntes… percebeu? Às vezes nem lembramos disso, não é mesmo!?

Ela descobriu o ouro no final do arco-íris entendendo que os DADOS movem o mercado. Desta forma, quem melhor para segmentar um anúncio offline do que uma empresa que sabe exatamente aquilo que cada tipo de público precisa por onde passa, sempre apresentando ofertas relevantes?

6- Ambient Computing (in)consciente. É possível?

Conceitualmente, o que define Ambient Computing é o uso inconsciente da computação. É algo abstrato sim, ou melhor, não palpável. Para ficar mais claro, usamos um dispositivo sem deliberadamente tocá-lo e, até mesmo, lembrarmos de sua presença. 

Quer um comparativo?

Quando usamos a Siri (assistente de voz da Apple), temos envolvimento direto com o dispositivo. Porém, quando usamos o Amazon Echo (alto-falante inteligente) conversamos no ambiente em que nos encontramos, e essa é a referência para experimentar Ambient Computing. A localização do objeto que torna essa relação possível é irrelevante.

Sendo assim, há uma combinação “no ar” entre evolução de interfaces, reconhecimento de voz, internet das coisas, computação em nuvem, realidade aumentada, AI e Machine Learning.

E o que a Google do futuro fará em relação a isso?

Ora, usará toda essa tecnologia para nos fazer depender inconscientemente de tudo isso, 24 horas por dia. E não interessa em que lugar do planeta estejamos!

Espalhando todos os produtos relacionados ao seu business, formas de gerar tráfego e monetizar serão reinventadas. Aqui já dá para entender, mais nitidamente, que o SEO seguirá com um papel estratégico importantíssimo.

Seu negócio pode começar a pensar em criar um app funcional para  Android – caso ainda não tenha -, e focar nos dispositivos de voz. Todas as novas tecnologias inteligentes criadas pela Gigante utilizam a fala como modo de busca. 

SEU SITE PRECISA ADAPTAR-SE A ISSO, OU A CONCORRÊNCIA SERÁ ESMAGADORA!

Faça uma parceria com quem mais entende sobre a Google do Futuro

Claro que há muito mais por vir. Anote o que estamos dizendo: encerraremos 2020 com novidades ainda mais incríveis. Por enquanto, trate de olhar para a sua estratégia e ver o quanto está harmonizada com essas mudanças.

Quer uma ajudinha?

A WebShare é a parceira que você tanto procura para alavancar o seu negócio. Entre em contato com o nosso time de especialistas em Google agora mesmo, e veja sua marca alavancar resultados através de tráfego orgânico.

Compartilhe

Comentários

CONTEÚDOS SEMANAIS DE QUALIDADE SOBRE PERFORMANCE PARA MELHORAR O SEU NEGÓCIO, CADASTRE-SE:

Mais acessadas

design-e-seo-webshare

Desenvolvido por WebShare - Estratégia e Resultado   © Copyright – WebShare Estratégia e Resultado – Todos os direitos reservados

Comentários