Blog WebShare

Saiba tudo o que está acontecendo no mundo da tecnologia e do Marketing Digital

Webshare News

Google Page Experience: Entenda como o fator de ranqueamento destaca a Experiência do Usuário

Mayara Maia
Redatora

21 DE junho DE 2021
tempo de
leitura:
9min

Mais uma atualização do Google? Isso mesmo! O gigante das buscas não para de evoluir. Agora chegou a vez do Google Page Experience. Confira como esta novidade, que já era aguardada desde o ano passado, irá proporcionar impactos em seu site. 

[/bloco]

 

O Google, um dos principais buscadores no mundo, é a ferramenta ideal para as empresas captarem clientes através do tráfego gerado. Portanto, é nele que acontecem as corridas pelo topo do ranking.

Se você quer estar à frente dos seus concorrentes, é importante entender como o Google funciona e ficar atento a cada atualização para conseguir mais visibilidade para sua marca e aumento da receita através de conversões.

Muita coisa está mudando! Acompanhando a revolução digital que estamos vivendo nos últimos anos, o Google está realizando as suas maiores alterações de algoritmo.

O foco agora é entregar as melhores experiências de pesquisa para os usuários da ferramenta. Logo, a satisfação da navegação das pessoas se torna importante pilar de classificação de sites.

Por isso, neste artigo, apresentamos a mais recente atualização da ferramenta de busca: o Google Page Experience. Confira.

O que é o Google Page Experience?

internas B blog google page experience webshare 1

O Google Page Experience é o mais recente fator de ranqueamento de sites para buscas no Google.

Sem ignorar o valor das informações e a qualidade do conteúdo, o Google decidiu focar no investimento da melhor Experiência do Usuário (UX – User Experience) através do Google Page Experience. 

Entendendo aqui a Experiência do Usuário como o conjunto de elementos que descrevem o nível de satisfação de um usuário visitante ao interagir com um site. 

 

Vamos dar um exemplo: Quando você visita um site e a página demora a carregar, ou tem dificuldade em encontrar solução para o que estava procurando, qual é a sua reação? 

Provavelmente, vai sair do site que gerou uma experiência ruim para encontrar outro que forneça a qualidade que você espera, concorda?

 

É a oferta da melhor experiência para o usuário que o Google busca proporcionar cada vez mais em cada nova atualização. E para seu site se manter entre esta fácil oferta, é preciso se atualizar também!

A atualização do Google Page Experience começou este mês e seguirá sendo implementada gradativamente até agosto.

 

Quais são as atualizações do Google Page Experience?

Já conversamos sobre as novidades de Plataformas de busca como o Google e suas tendências voltadas prioritariamente à experiência dos usuários (UX) para classificar os sites nas pesquisas. Essas recentes atualizações do algoritmo de busca do Google, colocou a sigla SXO em evidência.

Mais do que nunca, a satisfatória navegação das pessoas se fortalece como um dos pilares do SEO e do webdesign, impactando nos esforços para sites terem boas classificações. Ou seja, se você ainda não investe em SXO, está esperando o quê?

 

Como funciona o Google Page Experience?

internas C blog google page experience webshare

O Page Experience conta com segmentos de avaliação da Experiência do Usuário para definir os ranqueamentos: Core Web Vitals, Mobile-Friendly, Safe-browsing, HTTPS e No Intrusive Interstitials.

Core Web Vitals 

Já falamos sobre as Core Web Vitals por aqui. Elas são as novas métricas do Google que conseguem avaliar se os aspectos de desenvolvimento de um site são bons ou ruins através do seu trio de medições: Largest Contentful Paint (LCP), First Input Delay (FID) e Cumulative Layout Shift (CLS).

A LCP mede o desempenho de carregamento do conteúdo principal da página (a média esperada é de 2,5 segundos). Enquanto a FID se concentra na interatividade no site (a média esperada é de  100 milissegundos). E a CLS é a medição da estabilidade visual da página (a média esperada é abaixo de 0,1).

Avançado como sempre em facilitar o progresso do mundo digital, o Google tem ferramentas disponíveis para auxiliar na hora de medir os fatores que compõem a Core Web Vitals.

Algumas delas são o Chrome UX Report, o Lighthouse e o PageSpeed ​​Insights que permitem aos donos de site saberem sobre seus desempenhos diante de cada Web Vitals.

Além disso, o Google Search Console conta agora com um novo relatório para contemplar as Core Web Vitals.

E por que essa pontuação é importante para os seus negócios? Porque quanto mais experiências positivas dos usuários diante das viagens em seu site, maior a classificação do seu ranking no Google.

E quanto mais experiências negativas, mais invisível sua empresa fica no mundo digital.

Mobile-Friendly

Os dados da Mobile-Friendly já existiam e servem para apontar a compatibilidade do seu site com todos os tipos de dispositivos móveis.

A novidade é que os conteúdos que não são AMP (Accelerated Mobile Pages – páginas de carregamento rápido e visual atrativo voltadas para dispositivos móveis), mas que estão adequados às políticas do recurso Google News também poderão aparecer no topo das buscas mobiles.

HTTPS

Todo usuário espera por uma navegação segura ao realizar buscas pela internet. O HTTPS aponta para o navegador sobre a segurança do acesso dentro do seu site e comunica ao Google seu desempenho nesse aspecto. 

Safe-browsing

O Safe-browsing é uma métrica já conhecida que diagnostica se há empecilhos na navegação, como conteúdos maliciosos de malwares ou enganosos, de phishing, garantindo que o site se enquadre em um domínio responsivo.

No intrusive interstitials

Um site com “intrusive interstitials” é um domínio online com conteúdo estranho aparecendo na maior parte de suas páginas. Ou seja, sabe aqueles anúncios pop-up? Eles desqualificam a experiência do usuário ao bloquearem partes da página do seu site.

Extra: o SXO (Search Experience Optimization)

O SXO não faz parte só dos elementos de ranqueamento da Page Experience. Ele é o resultado da união de técnicas de SEO (otimização para motores de busca) com UX (experiência do usuário).

Suas principais práticas são o Teste A/B, o Funil de conversão e a Segmentação que, juntos, verificam a versão mais efetiva de uma página ou peça publicitária, através dos dados de conversão dos usuários; mapeiam os caminhos percorridos pelo usuário durante a navegação e dividem os navegadores de acordo com seus interesses, perfis ou comportamentos.

Os dados destes segmentos determinam a pontuação do Page Experience que, alinhados às boas práticas de SEO na construção de conteúdos com palavras-chave estratégicas, são as fontes do topo do Google.

Agora que se informou sobre as atualizações do Google Page Experience, que tal realizar ações em seu site que potencializam a experiência do usuário? Converse com a gente

Estamos sempre atualizados sobre os impactos do algoritmo do Google e somos especialistas quanto às melhores práticas de otimização.

Assine nossa newsletter!

Acompanhe nossos conteúdos semanalmente.

News

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Desmistifique o marquetês em nosso Glossário

Procurando uma luz no fim do túnel para aqueles termos do marketing que são realmente difíceis de compreender?
Ir para o Glossário